O segundo dia da SBGames 2009 foi, de longe, o melhor. O destaque da manhã era o Keynote de Jason Della Rocca. O fundador da Perimeter Partners e ganhador do prêmio Ambassador Award, na oitava edição do GDC Awards palestrou sobre a paisagem em transformação da Indústria de Games Global. Sentado em frente ao seu notebook, Jason usou e abusou de gráficos para demonstrar como a indústria dos games evoluiu e como isso se reflete financeiramente.

jason01

Fez questão de destacar que a democratização das ferramentas de desenvolvimento teve papel importante nesse crescimento e que a indústria hoje vive um dilema quanto ao preço final do produto, encarecido devido a alta tecnologia empregada. Como então tornar o produto acessível utilizando a tecnologia necessária? Para Jason “uma das soluções para esse dilema é utilizar a mão de obra barata dos países asiáticos”.

Pela tarde a Mesa Redonda sobre Políticas Públicas lotou o auditório Padre Anchieta e garantiu uma boa discussão. Estavam presentes Jason Della Rocca, da Perimeter Partners, Alfredo Manevy, do Ministério da Cultura, Emiliano de Castro e Andre Penha, ambos da Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Eletrônicos (ABRAGAMES), John Forman, da Softex, e Pedro Alem, da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Jason e Manevy foram os destaques dessa mesa, onde os temas discutidos foram a competitividade internacional e o papel do Brasil no mercado mundial de games. A questão dos impostos, como não poderia deixar de ser, também esteve em pauta. Foi levantado o fato do Brasil ainda não ser detentor da propriedade intelectual que fabrica os jogos. Para Manevy, a solução é uma série de políticas públicas de financiamento e incentivo a pesquisa universitária. E o cuidado para agir da maneira correta, “Nós não queremos paternalismo. Nós queremos política pública e parceria com o Governo”

No que tange financiamentos Jason Della Roca disse que “o problema com o apoio financeiro é que eles (quem financiam) não entendem como funciona a indústria de games e com isso investem muito dinheiro de forma errada. Não lucram e assim continuam vendo o mercado de games de forma ruim e preconceituosa.”

mesa_politicas02

Como forma de apoio ao desenvolvimento nacional, Pedro Alem informou a inclusão dos games no Procult, que inclui o financiamento para os desenvolvedores de games brasileiros.

Alfredo Manevy, que demonstrou posição a favor dos games e disse não medir esforços para propagar a cultura gamer pelo Brasil, aproveitou a oportunidade para anunciar o BRGames 2010. Conquistando de vez a plateia.

As 15:45 Bertrand Chaverot, presidente da Ubisoft no Brasil, palestrou sobre a convergência entre games e cinema. Segundo ele a convergência ocorre de maneira natural e ambas as indústrias estão aprendendo a criar juntas. Usou como exemplo a parceria entre Ubisoft e James Cameron, na produção do filme Avatar, o qual também receberá games lançados para os consoles. “Há coisas no filme que originalmente não estavam lá, mas que a equipe decidiu incluir depois de experimentar algumas ideias que utilizamos no jogo” afirma.

bertrand

No que diz respeito ao estúdio nacional, Bertrand afirmou que possivelmente dois times brasileiros estarão trabalhando em um MMO nos próximos meses. O jogo seria um RPG Light, com partidas rápidas de 15 minutos.

Encerrando com chave de ouro sua palestra, foi apresentado um Making of da série de curta metragens de Assassins Creed 2, que a Ubisoft está produzindo. Segundo ele informou, serão lançados 3 curta-metragens com duração de 15 minutos e que terão foco na história de Ezio depois dos acontecimentos do primeiro game. O lançamento está marcado para 15 de outubro, com transmissão pela internet, com broadcast exclusivo por país.

psx01O último Keynote do dia ficou por conta de Bruno Matzdorf e Michael Foster, ambos da Sony Computer Entertainment America (SCEA), e teve como tema o desenvolvimento para plataformas Playstation.

Ambos apresentaram o programa de Incubação de Desenvolvedores, ainda piloto, mas que pretende dar suporte para desenvolvimento em plataformas Playstation. Dedicado a desenvolvedores de PSP e PS2, o programa melhorará suas chances com publishers pois a incubadora cuidará da parte burocrática como licensas, contratos e etc.

A Unisinos (Universidade do Vale do Rio dos Sinos), que fica em São Leopoldo (RS), foi a primeira Universidade brasileira a participar do processo, recebendo seis kits de desenvolvimento para PSP. O professor João Carvalho, subiu ao palco e contou como foi a experiência de participar do processo de seleção e informou que em 2010 criará a disciplina “Programação de jogos para consoles”, inédita no Brasil.

psx03Quando o assunto foi o desenvolvimento brasileiro Michael e Bruno disseram que o Brasil está indo bem, mas como ainda estamos começando devemos nos focar em jogos mais simples. Nada como um MGS. “O Brasil tem uma paixão pelo desenvolvimento de jogos, e queremos dar a vocês ferramentas que estimulem esta criatividade”, disse Foster.

Depois do Keynote foi realizado o Plenário SBGames 2009, onde foram apresentados dados sobre a organização do evento e foram discutidos as próximas edições do simpósio. Dentre os destaques estão o recorde no número de participantes cadastrados, que este ano chegou a 970, a grande presença de pessoas do exterior, a maior cobertura por parte da imprensa e o aumento do número de palestrantes internacionais.

Ano que vem o simpósio acontece em Florianópolis (SC). Já a edição de 2011 será realizada em Salvador (BA).

E pra fechar com chave de ouro o dia, a Oi Futuro convidou a todos para a festa de premiação SBGames e Prêmio Nave, no Scala Rio. Tudo muito bem produzido e ao estilo VMB. As premiações foram: Festival de Jogos Independentes, Prêmio NAVE, Prêmio Oi Futuro Arte Digital e Prêmio Microsoft para melhores artigos. O vencedor da noite foi Capoeira Legends, que faturou quatro prêmios: Melhor jogo, Melhor Game Design, Melhor Narrativa e Melhor Arte. Os outros premiados foram: Taikodom (programação), Winemaker Extraordinaire (Audio Design) e Operação Cosmos (educativo).

Na categoria melhor game independente para PC quem levou o prêmio foi Reflector Zero. Enquanto AmbientRok foi o melhor para consoles e Hipercubo foi premiado como melhor game independente para celulares.

Com o fim da festa era hora de voltar para casa, descansar e se preparar para o último dia do evento enquanto ainda tentávamos processar tanta informação.

Ainda resta dúvida de que esse foi o melhor dia do simpósio?

Leonardo Marinho é apaixonado por games, viciado em tecnologia e apreciador de todas as formas de entretenimento. Quando possível ele tenta ser gamer, manter o Deu Tilt atualizado e levar uma vida normal. Sua consciência ainda não foi afetada pelas intempéries do tempo e ele aproveita essa façanha para redigir textos coerentes para o Deu Tilt. Ele faz o que pode…

Twitter YouTube