A Divisão de livros de Games da Editora Europa acaba de lançar a edição brasileira do livro “Os 100 Melhores Jogos”. Obra indispensável na coleção de qualquer Gamer, o tomo nasceu a partir da edição britânica “The 100 Best Games” da respeitada revista Edge.

Fabio Santana e a equipe da Editora Europa foram muito além da simples tradução. A elaboração da lista que compõe a obra passou por um refinado processo de localização com o intuito de se encaixar perfeitamente ao gosto dos brasileiros. O resultado é uma lista completa com os jogos indispensáveis para a formação de qualquer gamer e informações suficientes para que se conheça bem cada título, caso não tenha a oportunidade de jogá-lo.

Leitura obrigatória para você, meu amigo Gamer

Leitura obrigatória para você, meu amigo Gamer

Gostou? Quer comprar logo seu exemplar? O livro já está a venda nas melhores livrarias e no site oficial.

Quem quiser pode conferir uma amostra com 15 das 204 páginas da obra que estão disponíveis no blog GamerLifestyle, de Fabio Santana. Clique aqui para degustar.

Segue abaixo o editorial do volume, retirado também do GamerLifestyle.

“Editorial – Versão Final

Quais são os jogos essenciais na formação de um gamer culto? Como estabelecer uma lista assim? Com que critérios separar os jogos bons dos jogos verdadeiramente necessários? E, em primeiro lugar, para quê mesmo elaborar tal catálogo? Essas perguntas foram o ponto de partida para o volume que você tem em mãos.

Fazer listas parece estar ligado à própria condição humana. Desde tempos remotos nós registramos e ordenamos o pensamento em catálogos. Assim foi com Os Dez Mandamentos, com os fundamentos da Poética de Aristóteles, com as leis de Newton, e assim continua sendo, por exemplo, com a Constituição do Brasil. Organizamos coisas em lista para consulta e preservação, e as mais importantes se perpetuam para serem reinterpretadas e aplicadas pelas gerações futuras.

Evidente que a relevância dos jogos eletrônicos na cultura mundial não se compara à das obras dos grandes pensadores, mas o amadurecimento da mídia predispõe aos esforços de interpretação. Sua estética começa a influenciar o cinema, e seu traço distintivo, a interatividade, estabelece um elo inigualável entre obra e apreciador. A barreira psicológica de que jogos são produtos para simples entretenimento ou brincadeira infantil começa a ser derrubada, e com isso desenvolve-se uma consciência da sofisticação que a arte alcançou aos 40 anos recém-completados.

Assim, vimos a necessidade de criar uma lista com os jogos mais importantes desta breve história, os mais influentes dentro de sua indústria e os mais transcendentes, que excederam seus supostos limites e vieram influenciar a cultura e a mentalidade do jovem contemporâneo. Enfim, após muito labor, a intenção se materializou na presente obra, batizada de Os 100 Melhores Jogos.

Adaptado da edição britânica The 100 Best Games, o volume nacional ganhou autonomia. Passou por um cuidadoso processo de seleção que lhe deu uma identidade nacional, sem perder o caráter de lista global. Uma tradução metódica preservou a lucidez dos textos originais, elaborados pela equipe da revista Edge, referência mundial em crítica de jogos. Para os textos inéditos, traçamos diretrizes, discutimos abordagens e nos entregamos à tarefa de capturar a essência de cada jogo.

Este compêndio evidencia não apenas a relação de interdependência e mútua influência dos jogos, mas também, e principalmente, o diálogo permanente que eles estabelecem com o mundo moderno. É um grande ensaio sobre o valor cultural, estético e filosófico dos jogos eletrônicos, organizado e lapidado para iluminar mentes e enriquecer estantes. E, claro, rememorar bons momentos. Aprecie, então, Os 100 Melhores Jogos.”

Parabéns a Fabio Santana e toda a equipe envolvida no projeto. A ausência de livros do que eu chamo “literatura gamer” no Brasil é notável. Este já entrou para a (extensa) lista de livros que irei comprar o quanto antes.

E você, o que acha? Aproveite para deixar sua opinião nos comentários.

Leonardo Marinho é apaixonado por games, viciado em tecnologia e apreciador de todas as formas de entretenimento. Quando possível ele tenta ser gamer, manter o Deu Tilt atualizado e levar uma vida normal. Sua consciência ainda não foi afetada pelas intempéries do tempo e ele aproveita essa façanha para redigir textos coerentes para o Deu Tilt. Ele faz o que pode…

Twitter YouTube