Em entrevista recente para a publicação britânica Edge, o presidente da Sony Worldwide Studios, Shuhei Yoshida, comentou um pouco mais sobre os ports de PS3 no novo portátil da companhia, o até então apelidado NGP. Segundo Yoshida a tarefa é “simples e rápida”, vangloria-se.

“Nós estávamos muitos focados nesta área desde o começo. Esta é, novamente, uma lição que aprendemos do PS3. Tivemos que tornar o ambiente de desenvolvimento para o NGP o mais fácil possível. Hoje, muitos times estão familiarizados com o PS3 e estão acostumados a incluir uma variedade de efeitos em seus títulos.”

“Com base nessa experiência – e também em hábitos de trabalho que foram desenvolvidos trabalhando no PS3 – nós tivemos que fazer o desenvolvimento no NGP o mais natural possível – uma extensão do PS3, se você preferir.”

“Então as três demos que vocês podem ver – Lost Planet 2, Yakuza e MGS4 – provam que portar [os jogos] é simples e rápido, mas não quer dizer que isso é tudo o que você pode esperar. Minha visão sobre o NGP é que ele não é apenas uma plataforma para portar títulos do PS3.”

Fonte

Leonardo Marinho é apaixonado por games, viciado em tecnologia e apreciador de todas as formas de entretenimento. Quando possível ele tenta ser gamer, manter o Deu Tilt atualizado e levar uma vida normal. Sua consciência ainda não foi afetada pelas intempéries do tempo e ele aproveita essa façanha para redigir textos coerentes para o Deu Tilt. Ele faz o que pode…

Twitter YouTube